Aprenda como levar a tecnologia para sala de aula

Tecnologia-para-a-sala-de-aula

Smartphones, tablets, videogames portáteis e até relógios inteligentes. São muitos os recursos que a tecnologia oferece que são capazes de prender, por horas, a atenção de crianças e adolescentes.

Quando levados para a escola, esses dispositivos travam uma disputa desleal com o professor pela atenção dos estudantes. Tanto que muitos educadores preferem combater o uso desses dispositivos do que adaptá-los à realidade escolar.

A proibição, no entanto, tende a não surtir o efeito esperado e ainda pode frustrar os alunos. Portanto, a solução é trazer a tecnologia para sala de aula e construir atividades prazerosas e educativas. Através de métodos inovadores que contribuam para o desenvolvimento de aulas mais produtivas.

Por que não olhar com outros olhos para a tecnologia? Neste artigo, ajudaremos você no processo de reconhecimento dos recursos digitais como ferramentas úteis e as inúmeras possibilidades de aplicação na escola. Prepare-se para inserir a tecnologia em suas aulas!

Por que levar a tecnologia para sala de aula?

Tecnologia-para-a-sala-de-aulaA utilização da tecnologia como ferramenta didática pode ser um desafio para os educadores. Isso porque muitos professores ainda têm receio de que os recursos tecnológicos possam dispersar a atenção dos alunos, em vez de contribuir para o processo de ensino e aprendizagem.

Por outro lado, enfrentar o uso de celulares, tablets e outros dispositivos na escola tem se mostrado uma batalha perdida. Afinal, esta geração que hoje ocupa as salas de aulas já nasceu conectada ao mundo digital. Portanto, qualquer esforço para afastá-los da tecnologia é em vão.

Mas levar a tecnologia para sala de aula não é apenas uma forma de agradar os estudantes. Muito mais do que isso, trata-se de aproveitar uma série de recursos que hoje temos à disposição. É utilizar ferramentas que facilitam o trabalho do professor, tornam as aulas mais dinâmicas e proporcionam um estudo mais interativo.

Tudo começa com o planejamento

Antes de aplicar os recursos tecnológicos ao ensino, é importante compreender como isso contribuirá para a aprendizagem dos alunos. Portanto, o planejamento do professor começa entendendo como as tecnologias podem ser incorporadas ao ambiente escolar.

Depois, é importante observar esse universo de ferramentas e descobrir quais delas podem ser usadas em sua disciplina. Equipamentos de robótica, por exemplo, serão bem aplicados às aulas de Física, mas farão pouco sentido na matéria de História.

Por fim, cabe ao professor valorizar esses recursos e incentivar os alunos a interagir com a tecnologia de modo que isso seja útil ao seu aprendizado. Veja algumas alternativas:

Pesquisas online

Quando utilizada da maneira adequada, a internet é uma fonte inesgotável de conhecimento. Portanto, uma forma de inserir a tecnologia no contexto escolar é estimulando os alunos a fazerem pesquisas online.

O professor pode, por exemplo, plantar uma dúvida sobre determinado aspecto da disciplina. Em seguida, levar os estudantes ao laboratório de informática e incentivá-los a procurar pela resposta.

Outra alternativa é pedir para que a classe faça pesquisas para aprofundar seus conhecimentos em determinado assunto. Dessa maneira, além de contribuir para o aprendizado da matéria, o educador tem a oportunidade de mostrar aos alunos como fazer uma pesquisa consistente, indicando as formas de identificar um site como sendo confiável ou não.

Levantamento de dados

Para enriquecer ainda mais as pesquisas feitas pelos alunos, utilize a internet para ajudar no levantamento de dados reais. Ao ensinar estatística, em Matemática, ou até mesmo alguns aspectos da disciplina de Geografia, os alunos podem criar formulários de pesquisas online, usando ferramentas como Google Forms ou Survey Monkey para coletar informações dentro da própria escola ou até mesmo fora dela.

Os estudantes podem, por exemplo, fazer uma pesquisa para saber qual é o produto mais consumido na cantina do colégio. A partir dos dados coletados, é possível criar tabelas e gráficos para observar como se aplicam, na prática, os conhecimentos adquiridos em sala de aula.

Sites e aplicativos

Há vários sites e aplicativos que têm como objetivo estreitar o contato entre alunos e professores não apenas levando a tecnologia para sala de aula, mas também para fora do ambiente escolar. Exemplo disso é o Google Classroom, que permite a criação de salas de aula virtuais. Por lá, o professor pode compartilhar materiais de estudo, passar tarefas e até criar listas de exercícios e fóruns de discussão.

Essa é uma forma de engajar os alunos em atividades online. Inclusive, existe a possibilidade de usar essa tecnologia para desenvolver projetos interdisciplinares com outros professores.

Recursos audiovisuais

Atualmente, muitas escolas possuem equipamentos como projetor e caixas de som, que podem ser utilizados para explorar recursos audiovisuais. No entanto, há professores que se limitam às apresentações de slides.

Não que isso não seja útil, porém, é possível fazer muito mais com esses equipamentos. Com um simples projetor, o educador pode apresentar vídeos e conteúdos interativos.

Que tal levar os estudantes para um passeio pelas ruas de algum lugar histórico do outro lado do mundo? Isso é possível com o Street View, por exemplo. Além disso, o professor pode apostar em projeções em 3D para ensinar aos alunos matérias como os órgãos do corpo humano, em Biologia, ou as formas tridimensionais, em Matemática.

Projetos tecnológicos

Outra forma de levar a tecnologia para sala de aula é engajando o aluno em projetos tecnológicos. A vantagem é que, com as facilidades que existem atualmente, o professor não precisa de ser nenhum expert em tecnologia para desenvolver alguma coisa neste sentido.

Uma ideia é criar um site ou blog em que os estudantes possam expor suas produções, como textos, desenhos e outros projetos desenvolvidos em sala de aula. Com o celular, os alunos também podem produzir vídeos sobre o conteúdo da disciplina e compartilhá-los com a classe. Basta usar a criatividade e até mesmo acatar sugestões dos próprios estudantes.

Gamificação

Torne a aprendizagem um grande jogo, em que os alunos têm de cumprir objetivos para obter umaTecnologia-para-a-sala-de-aula conquista. Este é o conceito de gamificação. Em síntese, trata-se de levar o mundo dos jogos de videogame para a realidade escolar.

Para isso, é importante conhecer e compreender os aspectos que fazem dos jogos práticas tão interessantes. Depois, transportar essas características para a sala de aula, tornando o processo de ensino e aprendizagem mais dinâmico.

Entre as características dos jogos que podem ser adaptadas à educação está o conceito de desafio. Observe que é possível usar o conteúdo da própria disciplina para criar fases, mundos e até “chefões” que devem ser vencidos pelos estudantes. A cada desafio superado, os alunos podem receber recompensas, e, assim, evoluírem no jogo.

Práticas como esta estimulam em crianças e jovens a vontade de aprender e de se superar. Além disso, esta é uma maneira de fixar o conteúdo aprendido em sala de aula de forma lúdica e divertida.

Gostou das ideias? Compartilhe este artigo em suas redes sociais e mostre-o a seus colegas professores. Juntos, vocês podem descobrir novas formas de levar a tecnologia para escola!

Compartilhe:

Avenida Dom Pedro II 3973 SL 401 Carlos Prates Belo Horizonte/MG CEP: 30710-535

0800 944 5006

(31) 97584-3344

atendimento@institutoipb.com.br